terça-feira, 19 de janeiro de 2016

A religião como necessidade metafísica


Clique aqui!


No Humano, demasiado humano, já no primeiro aforismo desse texto, Nietzsche apresenta seu programa de crítica a partir de três perspectivas: a crítica à moral (cunhada na filosofia schopenhauriana), à estética (representada pela arte romântica de tipo wagneriana) e à religião (cristã). O objetivo central do presente trabalho é analisar o terceiro elemento, justamente aquele no qual Nietzsche aplica a sua “filosofia histórica” sobre a religião. Nossa trajetória argumentativa partirá de uma explanação sobre o projeto de crítica à metafísica de Humano, demasiado humano para então demonstrar como Nietzsche entende a metafísica como uma "necessidade" e a própria religião como um tipo de "necessidade metafísica" cujo fundamento é uma má-interpretação da dor (um dos elementos que formam aquilo que ele chama de humano). A aplicação do procedimento histórico-fisiopsicológico levará, assim, à reabilitação das coisas humanas e ao "evangelho" (MA/HH, 107) da inocência, ou seja, ao anúncio de que o alívio da vida seria resultado da compreensão da pura necessidade de todas as coisas.
Related Posts with Thumbnails

Textos mais visitados nas últimas semanas!

Postagens recentes

Ocorreu um erro neste gadget