Tg-Doxa - Professor Tiago Lacerda
Filosofia, Sociologia e Direito





Para confirmar, clique em cadastrar e confira em sua caixa de e-mails.

sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

O (Sagrado) numinoso em mim



A convite da minha amiga Rosélia, 
dedico estas letras ao Natal de cada um!

    Certo dia estava preparando minhas aulas sobre o Sagrado. Mas queria que fosse algo muito diferente. Eu queria provocar cada aluno a pensar de uma maneira não trivial esse conceito que esconde muitas possibilidades de interpretação. Um dos autores que eu escolhi para preparar essa aula foi Rudolf Otto. Este autor apresenta o conceito de sagrado a partir de três outros, a saber: Numinoso, Tremendo e Fascinante. Lógico que os alunos a medida em que eu desenvolvia a aula foram ficando inquietos, pois a palavra inicial era muito simples, sagrado, e cada um já sabia para si o que isso significava, mas quando apresentei os três conceitos de Otto, tudo o que parecia tão obvio se transformou numa grande dor de cabeça para eles e eu gostei muito da reação que tiveram.
    A proposta da interação Fraterna de Natal traz o tema: O Numinoso em mim. E não teria momento mais oportuno de contar essa experiência do que agora. Vamos lá então voltar à sala de aula... eu segui os passos pedagógicos para saber o que os alunos já sabiam sobre o tema, explorei o conhecimento deles e percebi que havia ali muitas traduções para a palavra sagrado, mas no geral, disseram ser: Deus, algo da Igreja, família e etc. Eles tentaram de maneira muito significativa me dizer o que sabiam e a partir daí utilizei então os conceitos de Otto para nos "desajudar" a compreender, ou seja a modificar alguns parâmetros e a construir juntos conceitos mais elaborados.
    Primeiro coloquei no quadro a palavra Numinoso e tentaram de muitas formas me dizer o que imaginavam ser, mas nada de conseguirem. Eu lhes disse: ainda bem! Eles angustiados queriam saber o motivo de eu ter gostado de que eles não conseguissem explicar. E foi aí que eu lhes disse que o Numinoso é algo que não pode ser explicado. A primeira intervenção foi: como vamos estudar algo que não pode ser explicado? Eu prontamente respondi que é justamente isso que faríamos durante todo o ano, tentar falar de algo que não cabem palavras para explicar. Mas então como estudar? Como saber? O que colocar na prova? E as inquietações deles foram crescendo cada vez mais.
    Segundo, com a palavra no quadro e as tentativas em vão de querer encontrar significado palpável introduzi as outras para continuar a aula. O Sagrado além de ser numinoso é também Tremendo. Logo me disseram: essa é fácil, significa algo muito grande! Eu disse: quase isso! Mas Tremendo significa que diante de algo que não podemos traduzir em palavras, isso nos assombra de alguma forma, e trememos diante do desconhecido, mas esse tremor não é de medo, mas de temor respeitoso a algo que valorizamos muito e não conseguimos conhecer. Inevitavelmente alguém já lançou a terceira palavra explicando seu significado: Ahhh, então Fascinante é algo que nos encanta? Respondi: Isso mesmo! Estamos quase lá.
    Terceiro, com os sinônimos mais trabalhados chegamos a uma conclusão: O Sagrado que estudamos (naquele momento iríamos estudar durante o ano), seria algo que por mais que eu tivesse palavras eu não poderia explicar, e se eu tentasse explicar não seria compreendido, pois é inefável, por isso quanto mais eu tento, mais eu tremo e temo o Sagrado que me fascina por não se revelar a mim de qualquer forma. Mas a chave principal da reflexão daquela aula foi: eu não posso explicar, nem dizer, mas algo eu posso! Os seus olhos ficaram atentos em busca da resposta... e continuei, no âmbito do sagrado eu posso experimentar. E cada um que experimenta o numinoso em si tem uma concepção dele que por mais que saia dizendo a todos o que sente, jamais conseguirá exprimir em palavras inteligíveis o que experimentou. Por isso não posso julgar a experiência que o outro tem com o Sagrado! É algo muito íntimo de cada pessoa e merece no mínimo respeito.
    Assim, concluo meu relato agradecendo a Rosélia pela oportunidade de relembrar algo tão interessante que passei em sala. E a partir dessa aula de Ensino Religioso os alunos passaram a encarar a matéria com outros olhos e no final do ano fui homenageado com uma caixa personalizada, onde eles demonstraram que aqueles conceitos jamais sairiam de suas vidas, tampouco eles da minha! Um feliz e abençoado natal a todos!



quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Questões de Lógica e argumentação



01) Quando raciocinamos é notório que desenvolvemos um processo mental. Tal processo é denominado de mais técnica de inferência. Inferir é chegar a algum juízo ou ideia a partir de outros juízos ou ideias. Marque a opção que contenha os sinônimos de inferência.

a) Conclusão, premissas e silogismo
b) Silogismo, ideia e raciocínio
c) Ilação, consequência e enunciado
d) Consequência, premissa e raciocínio
e) Consequência, conclusão e implicação

02) Se A é verdadeiro:
Logo:

a) E é falso e I é verdadeiro
b) O é verdadeiro e I é falso
c) E é verdadeiro e A é verdadeiro
d) E é falso e O é verdadeiro
e) Todas alternativas acima são verdadeiras

03) Marque a contraditória da frase abaixo.

Alguns políticos são corruptos

a) Alguns políticos são corruptos
b) Todo político é corrupto
c) Alguns políticos são inocentes
d) Alguns políticos não são corruptos
e) Nenhum político é corrupto

04) Marque a subalterna da frase abaixo.

Todo jogo tem regras

a) Nenhum jogo tem regras
b) Todo Jogo tem Regras
c) Alguns jogos não tem regras
d) Alguns jogos tem juízes
e) Algum jogo tem regras

05) Marque a opção que apresenta respectivamente as contrárias e as contraditórias.

a) A e E; A e O; E e I
b) A o O; A e I e A e E
c) A e E; A e O e E e O
d) A e I; A e O; O e I
e) A e E; A e I, O e I

06) Sabemos que a dedução é o tipo de argumento que vai do maior ao menor ou do geral ao particular de tal modo que sua conclusão constitui algo que já estava contido mesmo que implicitamente nas premissas. Marque a opção que corresponda a uma inferência correta.

Todos os suspeitos são pessoas que estavam no prédio entre 12 e 14 horas.
Francisca não é uma pessoa que estava no prédio entre 12 e 14 horas. Logo:

a) Todos os suspeitos são culpados
b) Francisca não é assassina
c) Alguns suspeitos não foram investigados
d) Francisca é suspeita
e) Francisca não é suspeita

07) Observe o silogismo abaixo e marque o tipo de falácia que ele apresenta.

O fim de uma coisa é a sua perfeição
A morte é o fim da vida
Logo, a morte é a perfeição da vida.

a) Argumento contra o homem
b) Falsa causa
c) Petição de princípio
d) Acidente convertido
e) Falácia de equívoco

08) Leia o silogismo a seguir e marque a alternativa correta.

Nenhum homem se casa dentro de uma piscina
Marcelo casou-se dentro de uma piscina
Logo, Marcelo não é homem.

a) 2ª figura, Modo EIO, Inválida
b) 2ª Figura, Modo AOO, Inválida
c) 1ª Figura, Modo EOO, Válida
d) 3ª Figura, Modo EIO, Inválido
e) 4ª Figura, Modo EIO, Válida.

09) Uma baleia tem 15 metros de comprimento. Sua cabeça é tão grande quanto sua cauda. Se a cabeça fosse duas vezes mais comprida do que realmente é, a cauda e a cabeça, juntas, seriam tão compridas quanto o resto do corpo da baleia (ou seja, a parte que está entre a cauda e a cabeça). Qual é o comprimento de cada parte do corpo da baleia?

a) A cauda e a cabeça medem 4 metros cada. O restante do corpo (parte entre a cabeça e a cauda) mede 9 metros.
b) A cauda e a cabeça medem 2,5 metros cada. O restante do corpo (parte entre a cabeça e a cauda) mede 9 metros.
c) A cauda e a cabeça medem 4 metros cada. O restante do corpo (parte entre a cabeça e a cauda) mede 7 metros.
d) A cauda e a cabeça medem 3 metros cada. O restante do corpo (parte entre a cabeça e a cauda) mede 12 metros.
e) A cauda e a cabeça medem 3 metros cada. O restante do corpo (parte entre a cabeça e a cauda) mede 9 metros.

10) Quais letras correspondem aos modos abaixo respectivamente.

Barbara, Cesare, Darapti e Bramalip

a) AAA, AAI, AAE, AAI
b) AAA, EEE, AAO, AAI
c) AAI, EAE, AAI, AAO
d) AAO, EAE, AAI, AAO

e) AAA, EAE, AAI, AAI 

11) Verifique a figura e a validade do seguinte silogismo:

O sonho não é um sucessão lógica de imagens.
Todos os sonhos são miragens.
Logo, nenhuma miragem é uma sucessão lógica de imagens.

a) 4ª Figura e inválida
b) 3ª Figura e válida
c) 3ª Figura e inválida
d) 2ª Figura e válida
e) 1ª Figura e inválida

12) As proposições “Algumas obras de arte não são esculturas” e “Algumas obras de arte são esculturas”, são proposições:

a) Contrárias
b) Subalternas
C) Contraditória
d) Subcontrária
e) Falaciosas

13) A seguir você verá uma imagem de um estacionamento. Verifique o número das vagas e descubra em qual número o carro está.


a) 85 
b) 84 
c) 12 
d) 87 
e) 24

14) Considere a seguinte lista de afirmações:


1. Exatamente uma destas frases é falsa;
2. Exatamente duas destas frases são falsas;
3. Exatamente três destas frases são falsas;
4. Exatamente quatro destas frases são falsas; 
5. Exatamente cinco destas frases são falsas; 
6. Exatamente seis destas frases são falsas;
7. Exatamente sete destas frases são falsas;
8. Exatamente oito destas frases são falsas;
9. Exatamente nove destas frases são falsas; 
10.Exatamente dez destas frases são falsas.

Marque a alternativa que contenha o número da afirmação verdadeira.

a) 1 
b) 3 
c) 5 
d) 9
e) Todas as afirmações são falsas.

15) Analise o enigma abaixo e marque a resposta correta.


Todas as minhas flores, menos duas, são rosas. Todas as minhas flores, menos duas, são tulipas. Todas as minhas flores, menos duas, são margaridas. Quantas flores eu tenho?

a) Uma rosa, uma tulipa e uma margarida.
b) Duas rosas, duas tulipas e duas margaridas.
c) Três rosas, três tulipas e três margaridas.
d) Quatro rosas, quatro tulipas e quatro margaridas.
e) Nenhuma das respostas acima.

16) Tendo em conta os Silogismos que se seguem. Testa a sua validade (indicando as regras que violam), o Modo do Silogismo e a sua Figura.

Todas as vacas voadoras são lindas
Nenhum avião é lindo
Algumas vacas voadoras são aviões

a) A conclusão não seguiu a parte mais fraca. O termo maior e menor estão invertidos. O silogismo é inválido. O modo é A, E, I; e pertence a 2ª figura.
b) O termo médio entrou na conclusão. O silogismo é inválido. O Modo é A, E, I e pertence a 2ª Figura.
c) O termo médio não apareceu na conclusão. O silogismo é válido. O Modo é A, E, O e pertence à 2ª Figura.
d) A conclusão seguiu a parte mais fraca. O termo maior e menor estão em ordem. O silogismo é válido. O modo é A, E, I e pertence à 1ª figura.
e) O exemplo dado não é um silogismo pois os termos são diferentes.

17) Quais letras correspondem aos modos abaixo respectivamente.

Barbara, Cesare, Darapti e Bramalip

a) AAA, AAI, AAE, AAI
b) AAA, EEE, AAO, AAI
c) AAI, EAE, AAI, AAO
d) AAO, EAE, AAI, AAO
e) AAA, EAE, AAI, AAI 



segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Questões sobre Filosofia Estética com Gabarito


01) “Um quadro não é pensado ou fixado de antemão. Enquanto o produzimos ele segue a modalidade do pensamento. Depois de terminado ele continua a mudar, conforme o estado daquele que contempla. Um quadro segue sua vida como um ser vivo, sofre as mudanças que a vida cotidiana nos impõe. Isto é natural, já que um quadro só vive graças àquele que o contempla.”   Pablo Picasso. Este fragmento do pensamento de Pablo Picasso significa:

a) O quadro é um ser vivo e é independente do artista, assume forma independente e é altamente abstrato em relação à realidade sensível.
b) O quadro é apenas o resultado do pensamento do artista que expressa a sua imaginação em um pedaço qualquer de superfície que permita a expressão máxima do artista.
c) Um quadro, por mais que tenha a intencionalidade de um artista por de trás de sua criação, sempre se manterá vivo mesmo que um artista já o tenha terminado. Isso só é possível porque quem o contempla terá sempre a chance de fazer uma nova interpretação daquilo que ele observa.
d) Um quadro não é de antemão algo solto, mas fruto de uma incessante inter-relação do artista com o mundo sensível.
e) Um quadro, uma vez terminado, é um quadro vivo apenas para o artista uma vez que ele é o criador e ao mesmo tempo o ser que admira a sua própria obra.

02) A respeito dos assuntos filosóficos abaixo abordados, assinale a opção correta.
a) A epistemologia é o estudo dos textos sagrados da filosofia contidos nas cartas do novo testamento.
b) A estética, a ética e a criteriologia ou gnoseologia fazem parte da filosofia prática.
c) Baumgarten foi o filósofo que criou a teoria da mônada, substância simples que agregada a outras constitui as coisas de que a natureza se compõe.
d) David Hume, filósofo empírico escocês, entre outras noções filosóficas, estudou e redefiniu a noção de causalidade.
e) Todas as opções acima estão corretas.
03) A Estética, como área de investigação autônoma da Filosofia, distingue-se como tal pelos seus objetos de pesquisa, suas perguntas, problemáticas e métodos específicos. A esse respeito, marque a alternativa que NÃO corresponda a uma caracterização da estética filosófica.
a) "Existe uma estética não-filosófica, que se diferencia da filosófica menos por seus objetos e mais por seus métodos".
b) "Os objetos da estética filosófica podem ser não apenas coisas, mas também acontecimentos, situações, qualidades, sentimentos, dentre outros".
c) "A estética filosófica é a teoria da Arte, do Belo e do conhecimento sensitivo".
d) "A estética filosófica não é uma teoria do Belo e da Arte porque objetos que não são artísticos e nem belos podem proporcionar uma experiência estética, ou seja, ser possuidores de qualidades estéticas".
e) "Caracterizar a estética como teoria do conhecimento sensitivo é, por um lado, ampliar demais o seu escopo, vez que o conhecimento sensitivo abrange áreas que não pertencem à estética; por outro lado, é uma caracterização estreita, porque a estética filosófica abrange objetos que não pertencem à percepção sensitiva".

04) Quando alguém capta ou percebe uma qualidade estética em um objeto, ele(a) tem uma experiência estética. Mas o que são, afinal, tais qualidades estéticas? Essa é uma das questões que são objetos de investigação da estética filosófica e que enceta uma disputa entre realistas e antirrealistas estéticos. Sobre essa questão, podemos dizer que:

I. "A distinção nítida entre o âmbito das qualidades estéticas e o das qualidades não-estéticas é problemática em termos filosóficos porque há uma relação das qualidades estéticas com qualidades não-estéticas, isto é, qualidades estéticas não são independentes de qualidades não-estéticas".
II. "O antirrealismo estético se caracteriza pela afirmação de que as coisas não são belas ou feias, excitantes ou entediantes, mas somos nós que as percebemos assim, isto é, as qualidades estéticas que atribuímos aos objetos não existem na realidade. O que existem somos nós e algumas qualidades comuns (tal como as qualidades das cores e das formas) às quais reagimos ocasionalmente atribuindo-lhes qualidades estéticas".
III. "O realismo estético afirma que as qualidades estéticas não são meras reações privadas aos objetos do mundo, elas existem como qualidades estéticas, ainda que como qualidades especiais, ou seja, as qualidades estéticas existem efetivamente, mas dependem de certas qualidades não estéticas. Quando um objeto possui determinadas qualidades não-estéticas, então possui necessariamente também determinadas qualidades estéticas, em uma relação de superveniência entre elas".
IV. "A relação de dependência entre qualidades estéticas e qualidades não-estéticas - a superveniência pretendida pelos realistas estéticos - não é uma relação biunívoca, mas unilateral que funciona em uma única direção, na medida em que uma mesma qualidade estética pode estar fundada em muitas qualidades não-estéticas diferentes - a harmonia, enquanto qualidade estética, de diferentes peças musicais pode estar ancorada em estruturas sonoras totalmente distintas".
V. "Um argumento a favor do antirrealismo estético é a falta de consenso intersubjetivo no âmbito dos juízos estéticos: frequentemente duas pessoas concordam totalmente em relação às qualidades não-estéticas de um objeto, mas discordam em relação às qualidades estéticas desse mesmo objeto".
Marque a alternativa CORRETA, que corresponde a uma caracterização adequada de alguns termos do debate entre realismo e antirrealismo estéticos.

a) Todas as afirmações são verdadeiras.
b) São verdadeiras as afirmações I, II, III e IV.
c) Todas as afirmações são falsas.
d) São falsas as afirmações II, III e V.
e) São falsas as afirmações I e II.

05) A noção de estética, quando formulada e desenvolvida nos séculos XVIII e XIX, concebia as artes como belas-artes e pressupunha que:

1. A arte é uma atividade humana dependente da política, visto que a sua finalidade é servir os grupos economicamente dominantes e dirigentes, isto é, aqueles que podem pagar pelas obras de arte
2. A arte é produto da experiência sensorial ou perceptiva (sensibilidade), da imaginação e da inspiração do artista como criador autônomo ou livre
3. A finalidade da arte é desinteressada (não utilitária) ou contemplativa. Em outras palavras, a obra de arte não está a serviço do culto, nem da prática moral das virtudes, assim como não está destinada a produzir objetos de uso e de consumo, e sim a propiciar a contemplação da beleza
4. O belo é diferente do bom e do verdadeiro. O bem é objeto da ética; a verdade, objeto da ciência e da metafísica; e a beleza, o objeto próprio da estética
Estão corretas apenas as afirmativas:

a) 1, 3 e 4.    
b) 1, 2 e 3.    
c) 2, 3 e 4.    
d) 3 e 4 .   
e) 2 e 4

06) Através da cultura de massa, o homem é subordinado ao progresso da técnica e esta o destrói, fragmenta-o em sua subjetividade para dar lugar à razão instrumental, ou seja, a razão é reduzida à instrumentalidade. A partir dessa análise, Theodor Adorno e Max Horkheimer utilizaram pela primeira vez o termo "indústria cultural". Relaciona-se à ideia de indústria cultural:

I. Cultura de massa e cultura popular.
II. A criticidade e aceitação dos valores emancipatórios divulgados pelos meios de comunicação de massa.
III. Cultura humana colocada a serviço da manipulação das consciências.
IV. Manipulação ideológica com o objetivo de seduzir os espectadores em vários níveis psicológicos.

Com relação à ideia de indústria cultural a partir de Adorno e Horkheimer, pode-se afirmar que está(ão) incorreta(s):

a) as assertivas II e IV.
b) as assertivas I e III.
c) apenas a assertiva II.
d) apenas a assertiva I.
e) Todas alternativas estão corretas.

07) Ao falarmos sobre estética mencionamos sobre o feio. Marque a opção que o conceitua.

a) Não existe o feio na arte, pois o feio é a obra mal feita, ou seja, que não correspondeu plenamente a sua proposta e sendo assim não é arte.
b) O feio existe sim na arte de forma subjetiva.
c) Existem muitas obras de arte feias.
d) Todas as alternativas correspondem ao conceito de feio na estética.
e) Nenhuma das alternativas acima está correta.

08) Complete as lacunas com as opções abaixo:

___________________ é individual, válido para cada sujeito; baseado em valores, preferências, limites e possibilidades individuais.____________________ o que tem validade para todos os indivíduos, não somente para este ou aquele; diz-se do conhecimento que é fundado sobre a observação do objeto.

a) belo, feio;
b) estética, arte;
c) subjetivo, objetivo;
d) beleza, atitude;
e) atitude, beleza;

09) Complete as lacunas de acordo com as opções abaixo:

A experiência estética é a experiência da presença tanto do ______________ estético como do sujeito que o percebe. Nenhum argumento racional ou conjunto de regras poderá nos convencer de que um objeto é belo se não pudermos percebê-lo por nós____________, se não estivermos frente a frente com______________.

a) Objeto, mesmos, ele;
b) Gosto, mesmos, ele;
c) Belo, a sós, objeto;
d) Escuro, e os outros, ele;
e) Medo, mesmos, sono.

10) Segundo Susanne Langer podemos definir a arte como:

a) A prática de criar formas perceptíveis expressivas do sentimento humano.
b) Um produto do fazer humano (a união de habilidade e criatividade).
c) São formas capazes de serem percebidas pela nossa mente.
d) Manifestação dos sentimentos humanos que é impossível atingir pelo pensamento discursivo.

e) Todas as alternativas acima estão corretas.

Questões sobre Filosofia Política com Gabarito



01) (UEL) “Toda cidade [polis], portanto, existe naturalmente, da mesma forma que as primeiras comunidades; aquela é o estágio final destas, pois a natureza de uma coisa é seu estágio final. (...) Estas considerações deixam claro que a cidade é uma criação natural, e que o homem é por natureza um animal social, e um homem que por natureza, e não por mero acidente, não fizesse parte de cidade alguma, seria desprezível ou estaria acima da humanidade”. ARISTÓTELES. Política. 3. ed. Trad. De Mário da Gama Kuri. Brasília: Ed. Universidade de Brasília, 1997. p. 15.)

De acordo com o texto de Aristóteles, é correto afirmar que a polis:

a) É instituída por uma convenção entre os homens.
b) Existe por natureza e é da natureza humana buscar a vida em sociedade.
c) Passa a existir por um ato de vontade dos deuses, alheia à vontade humana.
d) É estabelecida pela vontade arbitrária de um déspota.
e) É fundada na razão, que estabelece as leis que a ordenam.

02) (UEL) “O direito de natureza, a que os autores geralmente chamam de jus naturale, é a liberdade que cada homem possui de usar seu próprio poder, da maneira que quiser, para a preservação de sua própria natureza, ou seja, de sua vida; e conseqüentemente de fazer tudo aquilo que seu próprio julgamento e razão lhe indiquem como meios adequados a esse fim.” (HOBBES, Thomas. Leviatã. Trad. João Paulo Monteiro e Maria Beatriz Nizza da Silva. São Paulo: Abril Cultural, 1974). Com base no texto e nos conhecimentos sobre o Estado de natureza em Hobbes, considere as afirmativas a seguir.

I. Todos os homens são igualmente vulneráveis à violência diante da ausência de uma autoridade soberana que detenha o uso da força.
II. Em cada ser humano há um egoísmo na busca de seus interesses pessoais a fim de manter a própria sobrevivência.
III. A competição e o desejo de fama passam a existir nos homens quando abandonam o Estado de natureza e ingressam no Estado social.
IV. O homem é naturalmente um ser social, o que lhe garante uma vida harmônica entre seus pares.

Estão corretas apenas as afirmativas:
a) I e II.     
b) I e IV.     
c) III e IV.     
d) I, II e III.     
e) II, III e IV.

03) (UFSM) “A história oficial nos faz acreditar que os portugueses, ao desembarcarem no Brasil, encontraram um Éden terrestre, pleno de florestas intocadas, fauna abundante, praias paradisíacas. Um lugar onde os bons selvagens reinariam em plena sintonia com a natureza”. (National Geographic, maio 2007. p. 60). A ideia de “bons selvagens” contraria a tese de que:

I. O homem é bom por natureza, à sociedade o corrompe.
II.  O homem é mau por natureza, vivendo em permanente guerra de todos contra todos.
III.  todos por natureza, são livres e iguais.
Está(ão) correta(s):

a) I apenas.    
b) II apenas.    
c) III apenas.    
d) I e II apenas.    
e) I, II e III.

04) (UFU) De acordo com Rousseau, “A passagem do estado de natureza para o estado civil determina no homem uma mudança muito notável, substituindo na sua conduta o instinto pela justiça e dando às suas ações a moralidade que antes lhes faltava.” (ROUSSEAU, Jean-Jacques. Do contrato social. São Paulo: Abril Cultural, 1983. Coleção Os Pensadores. p.36.) Sobre a passagem do estado de natureza para o estado civil, é correto afirmar que:

a) O homem mantém a liberdade natural e o direito irrestrito, e ainda ganha uma moralidade muito particular guiada pelo seu puro apetite.
b) O homem perde a liberdade natural e o direito à propriedade, mas adquire a obrigação de seguir sua própria vontade.
c) O homem perde a liberdade natural e o direito ilimitado, mas ganha a liberdade civil e a propriedade de tudo o que possui.
d) O homem mantém a liberdade natural e o direito ilimitado, mas abdica da liberdade civil em favor da liberdade moral.

05) (UFF 2010) De acordo com o filósofo inglês Thomas Hobbes (1588-1679), em seu estado natural, os seres humanos são livres, competem e lutam entre si. Mas como têm em geral a mesma força, o conflito se perpetua através das gerações, criando um ambiente de tensão e medo permanentes. Para Hobbes, criar uma sociedade submetida à lei e na qual os seres humanos vivam em paz e deixem de guerrear entre si, pressupõe que todos os homens renunciem a sua liberdade original e deleguem a um só deles (o soberano) o poder completo e inquestionável. Assinale a modalidade de governo que desempenhou importante papel na Filosofia Política Moderna e que é associada à teoria política de Hobbes.

a) Monarquia Censitária
b) Monarquia Absoluta
c) Sistema Parlamentar
d) Despotismo Esclarecido
e) Sistema Republicano

06) Representava o pensamento das camadas populares, ao afirmar que a fonte do poder era o próprio povo. Em seu livro Discurso sobre a origem da desigualdade entre os homens, afirma que "o primeiro que concebeu a ideia de cercar uma parcela de terra e dizer 'isto é meu', e que encontrou gente suficientemente ingênua que lhe desse crédito, esse foi o autêntico fundador da sociedade civil. De quantos delitos, guerras, assassínios, desgraças e horrores teria livrado o gênero humano aquele que, arrancando as estacas e enchendo os sulcos divisórios, gritasse: 'cuidado, não deis crédito a esse trapaceiro, perecereis se esquecerdes que a terra pertence a todos'."

A que filósofo iluminista refere-se o texto?

a) Voltaire. 
b) Montesquieu. 
c) Rousseau
d) Denis Diderot.  
e) Jean d'Alembert

07) (UFPR 2010) A respeito do iluminismo, movimento filosófico que se difundiu pela Europa ao longo do século XVIII, considere as seguintes afirmativas:

I - Muitos filósofos franceses, entre eles Montesquieu, Voltaire e Diderot, foram leitores, admiradores e divulgadores da filosofia política produzida pelos ingleses, como John Locke com sua crítica ao absolutismo.
II - Quanto à organização do Estado, os filósofos iluministas não eram contra a monarquia, mas contra as ideias de que o poder monárquico fora constituído pelo direito divino e de que ele não poderia ser submetido a nenhum freio.
III - A descoberta da perspectiva e a valorização de temas religiosos marcaram as expressões artísticas durante o iluminismo.
IV - Em Portugal, o pensamento iluminista recebeu grande impulso das descobertas marítimas.
Assinale a alternativa correta.

a) Somente a afirmativa I é verdadeira.
b) Somente as afirmativas I e II são verdadeiras.
c) Somente as afirmativas I, II e IV são verdadeiras.
d) Somente as afirmativas III e IV são verdadeiras.
e) Somente as afirmativas II, III e IV são verdadeiras.

08) (UEL 2008)  Para Locke, o estado de natureza é um estado de liberdade e de igualdade. (LOCKE, J. Segundo tratado sobre o governo civil. Tradução de Magda Lopes e Marisa Lobo da Costa. Petrópolis: Vozes, 1994. p. 83).

Com base nos conhecimentos sobre a filosofia política de Locke, assinale a alternativa correta.

a) No estado de natureza, a liberdade dos homens consiste num poder de tudo dispor a partir da força e da argúcia.  
b) Os homens são iguais, pois todos têm o mesmo medo de morte violenta em mãos alheias.  
c) A liberdade dos homens determina que o estado de natureza é um estado de guerra de todos contra todos.  
d) A liberdade no estado de natureza não consiste em permissividade, pois ela é limitada pelo direito natural.  
e) Nunca houve na história um estado de natureza, sendo este apenas uma hipótese lógica.  

09) (UFPB 2009) (Adaptado) Leia o texto abaixo:

“[...] o primeiro pressuposto de toda a existência humana e, portanto, de toda a História, é que os homens devem estar em condições de viver para poder ‘fazer história’. Mas, para viver, é preciso antes de tudo comer, beber, ter habitação, vestir-se e algumas coisas mais. O primeiro ato histórico é, portanto, a produção dos meios que permitam a satisfação destas necessidades, a produção da própria vida material, e de fato este é um ato histórico, uma condição fundamental de toda história, que ainda hoje, como há milhares de anos, deve ser cumprido todos os dias e todas as horas, simplesmente para manter os homens vivos.” MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. A ideologia alemã. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987, p. 39.
As análises históricas de Marx (1818-1883), pensador alemão, exerceram e ainda exercem grande influência nas ciências humanas e sociais, entre elas, a História. Sobre a concepção marxista de História, assinale as alternativas verdadeiras.

1) A concepção da luta de classes como motor da História foi atribuída indevidamente ao marxismo, para o qual as transformações históricas decorrem apenas das ações dos indivíduos.
2) O marxismo defende, teoricamente, uma postura neutra do historiador diante da sociedade e do conhecimento produzido sobre a mesma e, assim, nega validade prática a sua própria concepção.
4) As sociedades, para Marx, não podem ser compreendidas sem um estudo pormenorizado de sua base econômica, e esse entendimento significa a análise da sua organização material para a produção da sobrevivência humana.
8) Os marxistas são ardorosos defensores do fim da história, pois essa tese representa a culminância do desenvolvimento humano, com a glorificação da sociedade de mercado e da democracia liberal.
16) A História, para Marx, é feita por todos, principalmente os trabalhadores, e essa concepção  rompia com a ideia, bastante comum no século XIX, de uma História feita apenas pelos “grandes homens”.

A soma das respostas corretas é:

a) 03.   
b) 07.    
c) 20.    
d) 24.    
e) 31. 

10) Tendo em vista as correlações entre ética e política, julgue os itens seguintes.

a) Platão relata, no mito da caverna como alegoria da realidade, que alguém tem a missão de resgatar os seus irmãos. Essa pessoa é o político.
b) Segundo Maquiavel, no seu livro O Príncipe, o governante tem que assegurar e manter o poder político. Desenvolve, então, uma teoria em que os meios justificam os fins, afirmando que a principal qualidade do príncipe é a virtude.
c) Para Aristóteles, o correto agir principia na esfera individual, com a "ética"; passa para a família, com a "economia"; e culmina na sociedade, com a "política".
d) A ética e a política são duas ciências independentes; a ética trata dos costumes e a política dos hábitos.

11) (Upe 2010) As ideias liberais refizeram reflexões e anunciaram novas perspectivas sociais. Um dos seus pensadores mais famosos, Locke, defendia o(a)

a) Fim da propriedade privada e da escravidão, com a queda da sociedade colonial e o fim do mercantilismo.
b) Consolidação da monarquia constitucional, destacando a universalidade do conhecimento e as possibilidades de massificação da cultura.
c) Pensamento de Descartes e o fim do idealismo, ressaltando o valor de democracia e da igualdade social na Europa do século XVII.
d) Liberdade natural dos humanos, afirmando a necessidade da propriedade privada e combatendo o absolutismo.

e) Crescimento do capitalismo, sem afetar a força política da nobreza e dos poderes dos monarcas absolutistas da época.
Related Posts with Thumbnails

Postagens mais visitadas na última semana!