Tg-Doxa - Professor Tiago Lacerda
Filosofia, Sociologia e Direito





Para confirmar, clique em cadastrar e confira em sua caixa de e-mails.

domingo, 25 de abril de 2010

Liberdade e Responsabilidade em Sartre

Gosto de conversar com as pessoas. Gosto de ouvir o que elas têm a dizer, de dar atenção e respondê-las, se ao meu alcance. Deixo claro que não tenho as respostas, mas posso ajudá-las a encontrar mais perguntas que de certa forma mostram o caminho não das respostas que querem, mas dos limites que temos em querer saber mais do que está ao nosso alcance, ao menos em alguns instantes, ou nos mais dolorosos e angustiantes. Nossa vida é de escolhas, e estas não são fáceis de manter. Há desafios, renúncias. Temos uma gama de opções no mundo, mas não podemos abraçar a todas, senão cairemos numa anarquia. É preciso um rumo certo, mas qual é o certo? Eu não saberia dizer se um só caminho é certo ou bom, ou melhor, eu não posso dizer isto. Cada um constrói o seu caminho. Sartre em O Existencialismo é um Humanismo descreve que “escolher ser isto ou aquilo é afirmar ao mesmo tempo o valor do que escolhemos, porque nunca podemos escolher o mal, (porque tal “mal” escolhido seria sempre um “bem”, exatamente porque se escolheu) o que escolhemos é sempre um bem. E nada pode ser bom para nós sem que o seja para todos”. Isto aproxima Sartre da moral kantiana. Kant quer fazer uma filosofia da moralidade e reduzir tudo a isto. Para ser feliz, honesto... é preciso da moral. Essa moral sempre parte do homem livre, autônomo. Ele diz que a razão tem uma autonomia. O sujeito executa a lei que ele mesmo elabora e a pensa. Esta lei tem um caráter universal. Após isto o sujeito deve esforçar-se para cumprir a lei e levá-la até o fim. Assim o que nos propomos ser e fazer deveria ter um caráter universal; outros, ou melhor, a humanidade inteira poderia fazê-lo também. O que nos remete a uma responsabilidade com o que escolhermos fazer e ser. “Há muita gente que não vive em ansiedade, mas é nossa convicção que esses tais disfarçam a sua angústia, que a evitam [...] ora, a verdade é que devemos perguntar-nos sempre: que aconteceria se toda gente fizesse o mesmo?, e não podemos fugir a este pensamento inquietante a não ser por uma espécie de má-fé” (SARTRE). O que eu quero com esta reflexão é propor um pensamento que inclui. Não dar de ombros para o sofrimento alheio, que também é nosso, mas escolher dentre tantas leis morais, aquela que pode nos ajudar a partilhar com a humanidade a responsabilidade recíproca na sociedade em que estamos. O sofrimento de uma só pessoa no mundo, deveria ser capaz de fazer-nos deixar tudo para acolher aquele que precisa no momento de nossa compreensão, amizade e capacidade de amar, porque a nossa vida é um caminhar para o mistério e não adianta pensarmos ser superior a ninguém, mas sim co-responsáveis.

SARTRE, Jean-Paul. O existencialismo é um humanismo. São Paulo: Abril S. A. Cultural,1973. p.13. (Col. Pensadores)

5 comentários:

orvalho do ceu disse...

CARO AMIGO TIAGO
COMO PODERÍAMOS TER RESPOSTAS?
SÓ ELE TEM PALAVRAS DE VIDA ETERNA!
GOSTEI MUITO DO QUE FALOU NO FINAL DO POST SOBRE UMA ÚNICA PESSOA A SOFRER E A NOSSA PARCELA DE COLABORAÇÃO...
QUEM DERA QUE TODOS PENSÁSSEMOS ASSIM!
ABRAÇO FRATERNO E MUITA SERENIDADE PRA VC
ESTEJAMOS LIVRES PARA AMAR E SERVIR!
ELE NOS CONCEDERÁ A GRAÇA... É FIEL!

Tiago Eurico de Lacerda disse...

É verdade! Vivemos num mundo onde cada qual vive para si e pronto. Oxalá se ao menos tivéssemos um pouco mais de sensibilidade quanto ao sofrimento alheio.
Amar é uma arte!

orvalho do ceu disse...

Olá, Tiago
Amanhã tem selinho no meu blog pra vc... Confere, sim!
Seja feliz e abençoado!
Abraços fraternos

orvalho do ceu disse...

Oi, Tiago
Novamente venho aqui não para comentar mas para pedir sua participação e divulgação na minha BLOGAGEM COLETIVA ESPIRITUAL que lançarei no dia 13 (N.S. de Fátima para contar com a Intercessão dela)
e, na certa, será de grande aprendizado para nós...
Gostaria muito de contar com sua colaboração, veja o post do dia 13 e lá tem as instruções, qualquer dúvida me procura por e-mail...
Vamos divulgar a Palavra ( e sua Ressonância em nós) que se fez Carne e habita sempre no meio de nós fazendo-nos sensíveis ao Reino que se pode implantar de muitas maneiras?
Muitíssimo obrigado, meu irmão e até lá!
Abraço-o com carinho e gratidão

Thiago Vieira disse...

A responsabilidade para Sartre é individual ou temos que nos responsabilizar pelo ato de outros? O nível de conhecimento é fator necessário para uma escolha ser ato de liberdade? Pois imagine uma criança que ingere veneno sem saber a consequência do ato...a responsabilidade pode ser atribuída à criança pelo ato ou pelos pais "responsáveis"? Se uma criança ou adolescente decide que não quer ir a escola: é responsabilidade inteiramente dela ou dos pais (como a lei sugere)?Como esses eventos corriqueiros, cotidianos podem ser explicados pela filosofia existencialista?

Related Posts with Thumbnails

Postagens mais visitadas na última semana!